Constipação Intestinal

Constipação Intestinal

constipação_intestinal_progastro

Nós consideramos que um ritmo intestinal de três evacuações ao dia ou uma evacuação a cada três dias possa ser considerado normal. As pessoas variam em função da sua característica e da flora intestinal. Existem muitas bactérias que definem o ritmo intestinal, é muito atual o uso de probióticos ou floras intestinais que definem o ritmo intestinal.

Pois a constipação funcional é aquela que decorre da ingesta inadequada de água, baixo consumo alimentar de fibras e da falta de atividade física, sabendo-se que um adulto necessita ingerir em média 25g/dia de fibra e 2 litros d’água/dia, toda vez que tivermos alteração na ingesta destes teremos alteração do nosso ritmo intestinal e poderemos desenvolver constipação intestinal.

Mudança do hábito intestinal

O que a gente sabe é que se tiver uma ou duas evacuações de um a três dias, pode ser considerado normal. O que importante é a mudança do hábito intestinal. Aquele paciente que evacua a cada três ou quatro dias, tem uma dificuldade enorme para evacuar e de repente passa a ter uma evacuação que ele considera normal, no começo pode achar que é um aspecto bom, mas é o doente que deve ser explorado e precisa realizar exames diagnósticos para saber se não tem alguma doença associada.

Ou ao contrário, aquele doente que evacua duas ou três vezes por dia, está acostumado com isso e passa a evacuar a cada dois ou três dias, a mudança do hábito intestinal é um alerta, principalmente se você tiver mais de 40 e 50 anos.

Então, de uma, duas ou três evacuações ao dia, desde que seja o seu ritmo intestinal, não nos preocupa, a mudança do hábito intestinal é o que preocupa. Esteja atento às mudanças do hábito intestinal.

Viagem também ocasiona a constipação

Também devemos saber que quando as pessoas viajam, é muito frequente a constipação se prolongar, principalmente entre as mulheres e pessoas que não gostam de usar outros banheiros que não aqueles que estão habituados. Quando estiver viajando e evacuar a cada dois e três dias ou ficar de cinco a seis dias sem evacuar, deve tomar providências porque não é bom que isso aconteça, leve um remédio.

Alterações neurológicas ou medicamentos

Entretanto, existem quadros funcionais de pacientes que têm alterações neurológicas ou associadas aos medicamentos. Existem muitos medicamentos para Parkinson ou outras doenças neurológicas que podem dificultar o funcionamento do intestino e também remédio para dor.

Procure um médico nessas situações

1 – O uso dos analgésicos mais modernos com base de codeína pode levar a uma constipação. Se isso estiver ocorrendo, consulte um especialista (Gastroenterologista, Cirurgião Digestivo e/ou Coloproctologia) porque necessita de orientação para que esses quadros não fiquem muito graves do ponto de vista funcional.

2 – Se você está usando alguma medicação de uso crônico e a constipação piorar, procure um especialista.

3 – Se você tiver uma mudança de hábito e perceber que mudou o seu padrão de ir ao banheiro, existe a necessidade de procurar um médico para investigar o porquê essa mudança intestinal aconteceu.

Entre contato conosco através da nossa central de atendimento on-line

CHAT ON LINE

O que é “Esteatose Hepática”?

O que é “Esteatose Hepática”?

Captura de tela 2016-04-26 20.40.50

Esteatose Hepática é um acúmulo de gordura nas células do fígado, também chamada de Infiltração gordurosa do fígado ou Doença gordurosa do fígado. Ela pode ser dividida em Doença gordurosa alcoólica do fígado (quando há abuso de bebida alcoólica) ou Doença gordurosa não alcoólica do fígado, quando não existe história de ingestão de álcool significativa.

Qual a causa da Esteatose Hepática?

A Esteatose pode ter várias causas:

  • Abuso de álcool;
  • Hepatites virais;
  • Diabetes;
  • Sobrepeso ou Obesidade;
  • Alterações dos lípides, como Colesterol ou Triglicérides elevados;
  • Drogas, como os corticoides e secundário a algumas cirurgias para obesidade.

Mais ou menos 1 de cada 5 pessoas com sobrepeso desenvolvem Esteato-hepatite não alcoólica.

Como a Esteatose Hepática é identificada?

O paciente pode apresentar alterações em exames de sangue relativos ao fígado (a Esteatose Hepática é a causa mais comum de elevação das enzimas do fígado em exames de sangue de rotina), aumento do fígado detectado ao exame físico realizado pelo médico, ou ainda por métodos de imagem, como a ultrassonografia de abdome, tomografia ou ressonância magnética. A Esteatose também pode ser suspeitada quando o paciente apresenta obesidade central (aumento do diâmetro da cintura em relação ao quadril).

A Esteatose Hepática pode evoluir para uma doença grave?

É um achado comum nos pacientes com sobrepeso, obesos ou diabéticos. Em parte desses pacientes uma inflamação das células hepáticas associada à esteatose pode estar presente, lembrando a hepatite alcoólica, e que é chamada de “Esteato-hepatite”. A Esteato-hepatite não alcoólica, se não controlada, tem o potencial de evoluir para a Cirrose Hepática em alguns pacientes. O paciente deve fazer exames para que seja avaliado o risco de progressão da doença.

A Esteatose Hepática pode ser tratada?

É importante saber que a Esteatose Hepática e Esteato-hepatite são doenças reversíveis. O manejo da esteatose requer a Identificação e possível tratamento específico da causa da infiltração gordurosa, bem como uma avaliação e orientação multidisciplinar, com acompanhamento médico e uso de medicamentos em casos especiais, acompanhamento nutricional e atividade física programada.

Como é realizado o diagnóstico?

No diagnóstico de esteatose hepática, o médico vai primariamente eliminar outras possíveis causas de doença hepática crônica, principalmente o abuso de álcool. Exames de sangue podem ser solicitados com o intuito de dosar as enzimas do fígado. As imagens do fígado obtidas por um exame de ultrassonografia podem sugerir a presença da esteatose hepática. Na ultrassonografia, um fígado esteatótico vai produzir uma imagem mais brilhante e granulado. Em alguns casos uma biópsia do fígado pode ser solicitada, onde um pequeno pedaço do fígao é coletado com uma agulha e examinado pelo microscópio, para procurar sinais de inflamação ou de cicatrização (fibrose).

Qual o prognóstico da esteatose hepática?
A esteatose hepática pode ser considerada reversível até certo ponto, removendo-se ou reduzindo-se os fatores agressores, sejam químicos ou nutricionais e tratando qualquer causa endócrina.

Como é realizado o tratamento?
O tratamento é direcionado pela causa, o que envolve modificações de hábitos de vida, sendo cruciais para a melhor resposta ao tratamento.

Como você pode auxiliar no tratamento?
– Perder peso. Caso você esteja com sobrepeso ou obeso, reduza o número de calorias ingeridas diariamente e aumente as atividades físicas para auxiliar nessa tarefa. Tente traçar uma meta de perder 1-2kg por semana, caso você já tenha tentado perder peso no passado e não foi bem sucedido, pode ser necessário a ajuda médica ou de um nutricionista.
– Escolha uma dieta saudável. Alimente-se com uma dieta rica em frutas e vegetais. Diminua a quantidade de gorduras em sua dieta, inclua nela alimentos integrais.
– Exercite-se, seja mais ativo. Procure se exercitar pelo menos 30 minutos ao dia, pelo menos na maior parte dos dias da semana. Incorpore mais atividades físicas no seu dia. Tente andar mais pelas escadas ao invés do elevador, caminhe distâncias curtas ao invés de ir de ônibus ou carro. Inicie devagar, não tente resolver tudo de um mês para outro.
– Controle o diabetes. Caso seja diabético, siga as instruções de seu médico. Tome sua medicação conforme orientado, monitore seus níveis sanguíneos de açúcar.
– Baixe seu colesterol. uma dieta saudável baseada em frutas e verduras, exercícios físicos e medicações ajudam a manter seus colesterol e triglicerídeos em níveis saudáveis.
– Proteja seu fígado. Evite substâncias que causem mais dano ao seu fígado. Não beba álcool. Cuide com medicações e chás comprados sem receita médica.