Quanto Custa a CIRURGIA BARIÁTRICA?

Quanto Custa a CIRURGIA BARIÁTRICA?

INSTITUTO PROGASTRO

Anualmente mais de 65 mil pessoas fazem a CIRURGIA BARIÁTRICA no Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Metabólica e Bariátrica. O que mostra que a CIRURGIA DIGESTIVA avançou muito, trazendo mais segurança ao procedimento e, principalmente, tornando-a mais acessível a população brasileira. Neste post, você descobrirá quanto custa (em média), uma cirurgia de redução de estômago e quais os diferentes sistemas (particular, convênios e SUS) poderá utilizar para fazer esse procedimento. Acompanhe!

QUANTO CUSTA PARA REALIZAR A CIRURGIA BARIÁTRICA?

  • CIRURGIA PARTICULAR (PACIENTE SEM CONVÊNIO)

Apesar da PADRONIZAÇÃO TÉCNICA os custos totais da CIRURGIA BARIÁTRICA variam bastante em virtude das características clínicas individuais (IMC, gravidade das co-morbidades associadas, idade, necessidade de UTI no pós-operatório etc.), o tipo de procedimento cirúrgico (Bypass Gástrico, Gastrectomia Vertical ou Cirurgia Revisional) a ser realizado e o método cirúrgico que será empregado (Cirurgia Convencional, Laparoscópica ou Robótica). Portanto uma cirurgia bariátrica pode custar entre R$ 25 mil a R$ 50 mil, sendo 2∕3 desses valores relativos aos CUSTOS HOSPITALARES (Diárias Hospitalares, Grampeadores, Bisturis Ultrassônicos, Medicações etc.) e 1∕3 representam a remuneração da EQUIPE PROFISSIONAL (Cirurgiões & Anestesiologistas).

  • CIRURGIA PELO PLANO DE SAÚDE

Em 1º de janeiro de 2012, a Agência Nacional de Saúde Suplementar, incluiu a CIRURGIA BARIÁTRICA no rol obrigatório de cobertura dos planos de saúde. Por isso todas as operadoras de saúde devem obrigatoriamente realizar essa cirurgia. Geralmente o tempo de carência solicitada pelos planos de saúde para realização da cirurgia bariátrica é a mesma para doenças pré-existentes, ou seja, 24 meses. Portanto, não existem planos de saúde sem carência para realizar esse tipo de procedimento, o prazo mínimo é de 24 meses.

CONHECÇA AQUI NOSSOS PLANOS DE SAÚDE & HOSPITAIS CREDENCIADOS

  • SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

O Sistema Único de Saúde faz a cirurgia de redução de estômago em vários hospitais públicos e credenciados, GRATUITAMENTE. Vale reforçar que o SUS realiza anualmente cerca de 20% do total de cirurgias bariátricas feitas no Brasil, demostrando assim a segurança de se submeter a esse tipo de tratamento pelo sistema público.

Se você tem dúvidas sobre a OBESIDADE & CIRURGIA BARIÁTRICA recomendamos que leia nosso MANUAL DE CIRURGIA SEGURA com as respostas das principais dúvidas relacionadas ao procedimento. BOA LEITURA!!!

>>> Agende sua AVALIAÇÃO PRÉ-OPERATÓRIA AQUI <<<

Hérnia Umbilical

Hérnia Umbilical

Definição

Este é um tipo comum de hérnia (10 a 30% das hérnias) e muitas vezes notado ao nascimento, como uma saliência no umbigo. É causado quando a abertura correspondente a passagem do cordão umbilical na parede abdominal, que normalmente fecha antes do nascimento, não fecha completamente. Defeitos pequenos (menos de meia polegada), em geral, fecham gradualmente até os 2 anos de idade. Hérnias maiores e aquelas que não fecham espontaneamente, em geral, requerem cirurgia na idade de 2-4 anos. Mesmo quando ocorre o fechamento correto desta área ao nascimento, a hérnia umbilical pode aparecer na idade adulta porque este ponto representa uma área de fraqueza da parede abdominal. Gravidez e obesidade são fatores de risco para este tipo de hérnia.

Sintomas

O paciente geralmente apresenta um aumento de volume no umbigo, associado ou não a dor e/ou desconforto. Os sintomas aparecem ou exacerbam quando o paciente faz atividade física e/ou aumento da pressão abdominal e tendem a melhorar com o repouso/decúbito.

Diagnóstico

Normalmente, apenas a história e exame clínico são suficientes. Entretanto, em alguns pacientes, principalmente com objetivo de avaliar o tamanho do defeito e a eventual presença de diástase do músculo reto abdominal, condição que pode interferir na decisão do tratamento, exames de imagem como ecografia e tomografia pode ser necessário.

Complicações

Hérnias umbilicais pequenas, menores que 1,5 cm geralmente não causam complicações. Entretanto, hérnias maiores (até 2 cm) podem causar estrangulamento do conteúdo herniário. E lembrando, o estrangulamento é uma emergência cirurgia, ou seja, requer a realização de uma cirurgia de forma imediata. Fique atento aos sinais e sintomas do estrangulamento: – aumento do tamanho da hérnia de forma aguda/repentina – hérnia/conteúdo não diminui de tamanho ou desaparece mesmo com repouso – dor intensa no local – pode evoluir com distensão do abdome, náuseas e vômitos.

Tratamento

Como para a maioria das hérnias, o tratamento é cirúrgico. Apesar da maioria dos cirurgiões realizar o reparo apenas por sutura simples, por considerar o problema simples, as taxas de recidivas são elevadas, pelo menos 5%. Este problema é ainda mais relevante em pacientes que apresentam diástase (afastamento) dos músculos reto-abdominais, o que causa um enfraquecimento ainda maior da parede abdominal, resultado em maior taxa de recidiva. Cada vez mais, mesmo para defeitos pequenos, mas principalmente para grandes defeitos (maiores que 2 cm), a utilização de telas é recomendada para diminuir a taxa de recidiva. E a Cirurgia laparoscópica? A cirurgia convencional (corte) é a mais frequentemente utilizada. As vantagens são: pode ser realizada sob anestesia local e sedação; os custos do procedimento são mais baixos. A cirurgia laparoscópica pode ser utilizada, as principais vantagens são: resultado estético (evita incisões na região anterior do abdome, cortes da laparoscopia são na lateral), possibilita a colocação de uma tela maior (reforçando toda a fraqueza da linha média do abdome), menos complicações de ferida operatória (principalmente infecção). Entretanto é mais difícil do ponto de vista técnico além de ser necessário anestesia geral.

CARNAVAL 2022, Vai lá e APROVEITA!!!

CARNAVAL 2022, Vai lá e APROVEITA!!!

O carnaval está batendo a porta para mais um ano de folia! E para estar com o pique elevado durante o período de festas, manter a energia e o corpo saudável é essencial! Por isso, veja aqui um guia completo com 10 dicas importantes :

1. Beba muita água! Procure ingerir 2 a 3 litros de água ao dia. Você também pode investir na água de coco e nos sucos de fruta naturais, como o de uva, por exemplo;

2. Bebidas alcóolicas: Para quem gosta de uma “cervejinha” no carnaval, é fundamental intercalar o consumo com a água. A bebida alcoólica desidrata o corpo, por isso é importante manter a ingestão de água em conjunto;

3. Coma frutas da estação: As frutas possuem vitaminas e minerais que auxiliam em diversas funções do organismo, dentre elas no processo de desintoxicação;

4. Coma vegetais verde-escuros: Alimentos como a couve, o brócolis, a rúcula, o agrião… estes vegetais atuam no processo de desintoxicação, auxiliando o funcionamento do fígado. Portanto, são boas pedidas na luta contra a ressaca;

5. Programe-se: Não fique longos períodos em jejum! O ideal é fazer três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e pequenos lanches nos intervalos. Estes pequenos lanches podem ser frutas frescas ou sucos de frutas, castanhas, biscoitos integrais e barra de cereal;

6. Coma alimentos que te forneçam energia: Assim você manterá o pique total no carnaval! Aposte nos cereais, barra de cereal, arroz e massa, mas dê preferência a versão integral destes alimentos;

7. Atente-se às condições de higiene dos locais que você se alimenta: Os alimentos devem estar conservados adequadamente e os manipuladores devem estar com aparência, uniforme e mãos limpos;

8. Cuidado especial ao consumo de frutos do mar e alimentos vendidos na praia: Por conta do calor, estes alimentos estragam facilmente e nem sempre estão mantidos em temperaturas corretas;

9. Evite os lanches naturais que contenham maionese ou molhos: Assim como os frutos do mar, a maionese e os molhos são muito perecíveis e estragam facilmente, ainda mais quando não estão mantidos sob temperatura correta. Você não quer ser pego por uma infecção intestinal e estragar sua folia, não é mesmo?

10. Evite alimentos muito gordurosos e as frituras: Por demorarem mais para serem digeridos e provocarem sono, podem estragar a sua festa! Prefira preparações assadas, grelhadas ou cozidas.

COMO SAIR DA RESSACA?

E você pode estar pensando: “e se eu abusar da bebida alcoólica?” Bem, quem abusar de bebida alcoólica durante o carnaval, como contornar a situação e curtir o resto da folia? Primeiro vamos lembrar que o melhor é evitar a ressaca com 2 cuidados importantes e simples: se hidratar e não ficar em jejum. Mas, se ainda assim você descuidou e ficou de ressaca, uma boa forma de ajudar na sua recuperação é tomar o soro caseiro. É fácil de preparar e é barato.

Receita de soro caseiro:

– 1 copo de água filtrada ou fervida;

– 1 colher de chá de sal;

– 3 colheres de chá de açúcar.

O ideal é tomar ao menos 1 litro. Além do soro caseiro é preciso se alimentar bem, com refeições leves, como saladas, legumes, carnes brancas/magras, grãos integrais e frutas, e nunca se esquecer da hidratação. A água é fundamental para o bom funcionamento do corpo como um todo e ajuda a eliminar mais rápido os metabólitos do álcool.

E Depois da folia?

Ao final das festas, o consumo do chá de boldo auxilia o trabalho do fígado, órgão encarregado da sensação de ressaca. Pode beber gelado com folhas de hortelã, ou com suco de limão. O limão é bem-vindo em todas as bebidas neste período: rico em vitamina C, que é um antioxidante e ajuda a combater os “males” causados pela folia. Outras fontes de vitamina C: laranja, acerola, kiwi, manga, tomate… Também é indicado comer castanha do Pará diariamente, por ser rica em selênio, outro ótimo antioxidante, protege o organismo dos excessos. Uma unidade já seria suficiente, pela alta concentração do mineral. Nos dias seguintes à festa, procure recuperar as horas de sono perdidas e retomar a sua alimentação habitual. Então, depois de todas essas dicas, espero que o seu carnaval esteja garantido em termos de disposição.

 Vai lá e aproveita!

Saiba Mais…